Notícias

Metrô-DF sugere mudança na lei que prevê quantitativo de empregados

Ideia é ampliar as vagas para que o Metrô possa contratar mais servidores

O presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, esteve nesta terça-feira (15) na Câmara Legislativa, após convite da Comissão de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Ciência e Tecnologia, Meio Ambiente e Turismo (CDESCTMAT) para tratar da convocação de concursados.

Segundo ele, há interesse em chamar inclusive os aprovados em cadastro reserva, caso haja dotação orçamentária e permissão legal. “O Metrô vai precisar de muito mais do que o que está previsto hoje. O Metrô tem interesse em chamar o máximo de aprovados possível”, disse Dourado.

O deputado Claudio Abrantes pediu que o presidente da companhia fizesse o compromisso público e o registro está nas notas taquigráficas da Comissão. Segundo o GDF haverá nomeação de todos os 232 das vagas previstas em edital ainda em 2018.

“Eu vim para a Câmara hoje de Uber, mas gostaria de ter vindo de metrô. A expansão é urgente, mas como ela vai existir sem servidores?”, questionou o parlamentar.

Para garantir novas nomeações em 2019, no entanto, é necessário que seja alterada uma lei que dispõe sobre o teto de empregados da companhia. Hoje, o número de servidores permitidos é 1.315, estando 1.111 nomeados atualmente.