Notícias

Dulcina passa por reforma e busca investimento

Teatro e faculdade buscam resgatar o valor histórico do local

 

O deputado Claudio Abrantes visitou nesta quinta-feira (12) a Faculdade Dulcina de Moraes, no Conic, para ver como anda a reforma e melhorias depois que o local está sob nova gestão. A ideia do grupo é resgatar a história e importância do local para Brasília e para as artes do Brasil.

 

“A Faculdade Dulcina é muito querida por todos nós. Por quem é de Brasília, por quem faz cultura, por quem valoriza a arte e a cultura como um todo. Fico feliz de ver que as coisas estão andando”, disse Abrantes.

 

Em fevereiro, o distrital levou o grupo da direção até a CEB para dar prosseguimento à negociação das dívidas com a companhia e retomar o pagamento deixado de lado há alguns anos.

 

Entenda o caso

 

A Faculdade de Artes Dulcina de Moraes e o Teatro Dulcina (com 400 cadeiras), ambos no Conic, são os dois braços da Fundação Brasileira de Teatro (FBT). Por causa da natureza da instituição, a escola está sujeita à fiscalização do poder público, pois todo o dinheiro arrecadado deve ser investido no propósito da organização, no caso, cultura e educação.

 

Após irregularidades na administração da fundação, iniciou-se um processo de intervenção. A gestão foi afastada e uma direção provisória teve que ser nomeada.

 

A Faculdade de Artes Dulcina de Moraes foi a primeira a licenciar bacharéis em artes cênicas, plásticas e visuais no país. Considerada pela crítica como a mais importante atriz de teatro brasileira no século 20, Dulcina de Moraes (1908-1996) foi ainda diretora, produtora e professora. A escola fundada por ela e está localizada no coração de Brasília, em um prédio projetado por Oscar Niemeyer, no Conic.